Família Salesiana...para ser testemunhas de Deus!

Família Salesiana...para ser testemunhas de Deus!

Roma (Itália). Encerrou-se em Roma, na Casa Geral dos Salesianos, no “Salesianum”, a 35ª edição das Jornadas de Espiritualidade da Família Salesiana.
As Jornadas deste ano focalizam a Família.  Tema que orienta os trabalhos, como é tradição, é a Estreia do Reitor Mor, que para 2017 diz: “Somos Família. Cada casa, escola de Vida e de Amor.”

Cerca  de 400 os participantes às Jornadas de Espiritulidade, vindos dos 5 continentes, que formaram uma válida representação dos 31 grupos que constituem a Família Salesiana. O encontro começou na tarde do dia 19 de janeiro de 2017, com as saudações introdutórias e a apresentação dos 21 grupos participantes da Família Salesiana no mundo.
Pelo Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora participam Ir. Maria Luísa Miranda, Conselheira do Âmbito para a Família Salesiana, juntamente com suas colaboradoras, FMA representantes  das casas dependentes da Madre, as noviças dos dois noviciados internacionais de Roma, numerosas FMA vindas das diversas inspetorias do mundo. A Madre Geral, Ir. Yvonne Reungoat esteve presente em alguns momentos das jornadas, deu a Boa noite e se encontrou com as FMA.

Pe. Angel Fernández Artime, Reitor Mor, na sua saudação de abertura disse: «Somos 21 grupos da Família Salesiana presentes aqui nestas Jornadas e estou muito feliz com isto. Mas quero dizer uma coisa fundamental: Família Salesiana, nascemos para ser testemunhas de Deus!»

Pe. Eusebio Muñoz, Delegado do Reitor Mor para a Família Salesiana, agradeceu aos presentes e convidou-os a viver intensamente estas Jornadas e a nutrir-se de espiritualidade salesiana. «Este encontro lhes permitirá fortalecer a experiência espiritual que os trouxe a Roma, e quando vocês voltarem a seus lugares de proveniência estarão em condição de transmitir esta bela experiência de fraternidade».

A primeira palestra formativa foi confiada a Pe. Juan José Bartolomé, SDB, que fez referência à “experiência de família de Jesus de Nazaré na tradição sinótica”. O biblista salesiano explicou: «Deus quis se assemelhar a nós para nos salvar, e quis nascer em uma família... Deus quis aprender a ser um de nós, crescer como um homem em uma família, berço da vida e do amor, o lugar em que o homem nasce e cresce».

No fim do primeiro dia Pe. A.F.Artime deu a “boa noite” salesiana e relevou com grande clareza: «Querida Família Salesiana, não nascemos somente para fazer obras de caridade, nascemos para ser testemunhas de Deus, esta é a nossa identidade fundamental. (...) Em um mundo onde se procura calar a voz de Deus, temos uma grande responsabilidade como Família Salesiana: testemunhar com nossa vida o Deus que vive».

No dia 20 de janeiro pela manhã foi apresentada a Estreia 2017 por parte de Pe. Angel. “Somos Família! Diante das situações que a família atravessa hoje, a Família Salesiana deve responder acompanhando e gerando processos na Comunidade Educativa Pastoral”.
Pe. Fabio Attard, Conselheiro Geral para a Pastoral Juvenil, apresentou o tema: “Pastoral Juvenil Salesiana e Família. Herança e linhas de futuro”. Concluiu dizendo que «o problema hoje está na exigência da nova evangelização que pede o cuidado pastoral da família».
Concluindo a manhã foi celebrada a Santa Missa presidida pelo Reitor Mor com homilia de Pe. Francesco Cereda, Vigário do Reitor Mor.

À tarde a Psicóloga Virginia Cagijal, da Espanha, tratou o tema “Acompanhar a família, chave de escuta e discernimento”. Refletindo sobre o texto “Amoris Laetitia” afirmou que «Cada matrimônio é uma história de salvação que deve cuidar, proteger e educar. Para enfrentar as dificuldades da família atual como a hiperproteção, a falta de tempo, entre outros, a força da família reside essencialmente em sua capacidade de amar e de ensinar a amar».
Uma experiência bastante significativa foi a apresentação de Salvo Adamo e sua esposa, que se propuseram acolher nas próprias casas crianças, adolescentes e jovens que não vivem em casa própria. 

Depois do encontro por grupos linguísticos, a Madre Geral das FMA, Me. Yvonne Reungoat deu a Boa Noite salesiana: «A Família Salesiana é uma força profética no mundo de hoje. Nós precisamos tomar consciência dessa realidade. Dom Bosco entendeu que não se pode educar sem a presença de um família e de um clima de afeto sadio, de liberdade, de confiança, de alegria, de esperança, criando desse modo a possibilidade para seus jovens de se formarem vivendo em uma família».

O sábado, 21, se abriu com o relatório de Pe. Andrea Bozzolo, SDB, uma leitura salesiana da Amoris Laetitia: «O interesse particular da Igreja sobre a realidade da família se deve à constatação da crise que essa instituição está atravessando em nossa sociedade. Especialmente no mundo ocidental e de modo particular porque há a convicção de que a  família tem a grande responsabilidade de cuidar da transmissão da Fé»,  disse.
A segunda parte da manhã foi dedicada à apresentação de experiências de grupos que trabalham de modo particular com as famílias. O grupo “Hogares Don Bosco” falou da sua experiência que conta cinquenta anos de vida na Espanha com o acompanhamento das Famílias por parte dos Salesianos Cooperadores da Eslováquia. “Hogares Don Bosco – explicaram Andres e Carmen – está organizada em grupos de casais, que aceitam livremente viver a espiritualidade salesiana e procuram fazer um caminho sério de crescimento humano, cristão e familiar”.
Como conclusão da manhã realizou-se uma hora de Adoração Eucarística, na qual foi lembrado Pe. Thomas Uzhunnalil, o missionário salesiano raptado em Aden, no Iemen, no dia 4 de março de 2016.
A tarde houve um momento de encontro dos grupos da Família Salesiana que refletiram sobre iniciativas de compromisso para viver o slogan: Somos Família. À noite, uma grande festa de todos os grupos da Família Salesiana encerrou a jornada.

Domingo 22, as conclusões de Pe. A.F.Artime que em primeiro lugar agradeceu a todos por terem compartilhado juntos, dia por dia, o trabalho da Família. «Duas palavras podem ser a síntese e as perspectivas deste 2017 – disse o Reitor Mor – grande convergência, em todas as palestras».
Depois lembrou as palavras que o Papa Francisco deixou em Turim-Valdocco em 2015: “Vocês me educaram com o afeto, não percam nunca esse modo de educar” e insistiu sobre a continuação do trabalho educativo “a partir do afeto, que é parte de nosso patrimônio, e que gera acolhimento, leva a manter as portas abertas, especialmente a porta de nossa casa, mais ainda, a porta do nosso coração”.
No final da 35ª edição das Jornadas de Espiritualidade, o Reitor Mor disse: «Sintamo-nos enviados como missionários salesianos em meio às famìlias do mundo todo».

Buonanotte di Madre Yvonne Reungoat alle GSFS 2017: http://www.cgfmanet.org

Para os materiais: http://www.sdb.org

Escrever comentário
Não há comentários a esta entrada.
Seja o primeiro a comentar!

OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.