Don Bosco em Rosarno, entre solidariedade e integração

Don Bosco em Rosarno, entre solidariedade e integração Rosarno (Itália). Em Rosarno, neste ano a festa de Dom Bosco teve um sabor diferente. Foi preparada e vivida sob o signo da solidariedade e da integração.

Rosarno é uma cidadezinha de aproximadamente 16 mil habitantes na província de Reggio Calabria. A comunidade fma chegou a Rosarno em 1945 e atualmente é composta por 9 Irmãs que trabalham na escola materna, no Centro de Formação Profissional, no Oratório e em atividades paroquiais.

No mês de janeiro, todos os jornais e televisões do mundo noticiaram os “fatos de Rosarno” acontecidos em 7 de janeiro, dia em que houve uma revolta de imigrantes que reagiram com violência à agressão vinda da parte de alguns moradores do lugar. Por alguns dias a cidade viveu momentos de forte tensão. Muitos imigrantes, que se encontram em Rosarno para a colheita de frutas cítricas, foram mandados embora da cidade, os moradores de Rosarno sentiram muito medo durante a revolta. Depois, porém, quando a situação parecia ter se acalmado, houve quem começasse a refletir. Cada um está tentando compreender o que poderia evitar que se chegasse ao confronto. Os trabalhadores imigrantes vivem em Rosarno há muitos anos. Jamais houve desentendimento entre eles e os habitantes do lugar, e as instituições, entre as quais o mundo da escola, trabalham há mais tempo com diversas iniciativas e projetos de integração. Mas alguma coisa não deu certo. Os trabalhadores moravam todos na “Rognetta”, uma espécie de favela, sem infraestrutura. Agora foi demolida. A cidade está tentando reagir. Quer mostrar ao mundo que não é racista, mas que trabalha pela integração e a cooperação.

E é justamente nesta ótica, que o Liceu Estatal R. Piria, o município de Rosarno, os voluntários do Serviço civil, os Serviços sociais, com a comunidade das fma, prepararam a festa de Dom Bosco.

No dia 30, de manhã, no auditório do Liceu, foi organizado um encontro - “ Simplesmente juntos ” - com os estudantes para refletir sobre o que aconteceu em Rosarno e tentar entender quais os passos que podem ser dados para que o acontecido não se repita. Ir. Leontine Sonyi, da República Democrática do Congo, foi convidada e falou da sua experiência de vida salesiana, especialmente de como é difícil no início para uma pessoa ambientar-se quando chega em outra cultura, num país estrangeiro, quais são as coisas que causam problemas, mas também apresentou o lado positivo da integração e da multiculturalidade. Ir. Leontine, dirigindo-se aos jovens disse: «Vocês são o motor da sociedade, vocês são o coração do mundo, se o coração não bate forte, tudo pára. A esperança de construir juntos está em suas mãos, assim como dizia Dom Bosco aos seus jovens». As intervenções dos representantes das instituições destacaram que algumas medidas como: a regularização da permissão de estadia e dos contratos de trabalho, a melhoria da habitação dos trabalhadores imigrantes são providências que já deveriam ter sido tomadas e que agora se mostram ainda mais urgentes. Animados pela sua diretora, os jovens da escola mostraram com orgulho o que já foi feito para buscar caminhos de integração.

No final do encontro, porém, não foi possível sentir-se completamente satisfeitos. Todos têm consciência de que há ainda muito a ser feito. Enquanto os imigrantes forem imigrantes e não “Rosarnesi”, não se poderá falar de verdadeira integração. E todos pessoalmente, e também particularmente, não somente nas manifestações públicas, devem questionar-se sobre os estereótipos que acompanham o seu modo de perceber os estrangeiros na sua região e em sua vida.

A festa de Dom Bosco, em seguida, continuou no oratório e na paróquia. Domingo de manhã, o pároco P. Pino Varrà, durante a homilia disse que os desejos de paz e de solidariedade podem se realizar na medida em que cada um coloca a própria vontade e as próprias ações concretas à disposição dos sonhos que têm. De outro modo, os sonhos são simplesmente utopias.

Depois da missa, um maço de balões coloridos, aos quais as crianças colaram um coração no qual estava escrito um compromisso e um desejo, foi o sinal de querer recomeçar juntos. De tardezinha, a festa continuou com cantos e danças no oratório. Dom Bosco, em Rosarno, convida os jovens a fazerem-se portadores de tolerância e integração. Para além de todo interesse pessoal, para além de toda ideologia política, para além de toda ameaça do crime organizado, que nestas terras infelizmente tem muita incidência.

Cada história pode ser contada sob diversos ângulos. De Rosarno, foram transmitidas noticias para denunciar situações objetivamente carentes quanto ao mundo dos trabalhadores estrangeiros. Nós procuramos escrever de Rosarno para contar o que os habitantes desta cidade e boa parte dos jovens buscam fazer na vida cotidiana, sem tanto barulho, cada dia partilhando o que se tem e o que se é com quem mais necessita.

Escrever comentário
2 comentários
15/09/2016 08:03:07 - ramoi

l'articolo manca dell'anno cui e stato scritto , si ricordano solo avvenimenti recenti di cronaca fuori contesto...... Era utile in censimento con i numeri di tutto l'impegno formativo e sociale esercitato inclusa l'emancipazione femminile promossa.... Non guastava sapere le vocazioni maschili e femminili qui avvenute dal 1945 , frutto di un sapiente apostolato .

03/02/2010 - lucia

Sono contenta di leggere come a Rosarno la gente stia reagendo a quanto accaduto. Il bene fa sempre meno rumore.


OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.