Campanha contra il tráfego de pessoas humanas

Campanha contra il tráfego de pessoas humanas

Johannesburg (África do Sul). Do dia 15 a 19 de fevereiro passado, 19 religiosos de 11 nações, 16 congregações religiosas e 04 continentes, se encontraram na capital da África do Sul para organizar uma campanha mundial de informação contra o tráfego de pessoas humanas a ser difundido na ocasião dos Mundiais de Futebol que se realizará em Johannesburg a partir do próximo mês de junho. Pelo nosso Instituto participou Ir. Bernadette Sangma, conselheira do Âmbito da Família Salesiana.

O tráfego de pessoas humanas está assumindo dimensões notáveis. Não se trata mais de casos esporádicos, mas de um fenômeno que está crescendo. O tráfego não compreende somente à exploração sexual, mas também à exploração de mão de obra em condições próximas à escravidão.

As mulheres são particularmente sujeitas a se tornarem vítimas do tráfego de seres humanos por causa da feminilização da pobreza, da discriminação sexual e da falta de instrução e oportunidades profissionais nos seus países de origem.

Na ocasião do evento esportivo da Copa do Mundo de futebol, se prevê grandes fluxos de torcedores que chegarão ao Sul da África para sustentar os times de suas nações. Por isso muitas organizações criminais poderão aproveitar do grande movimento de pessoas para organizar os seus tráfegos.

Essa atenção já foi colocada nos mundiais de futebol realizadas na Alemanha em 2006. Mas a nação tedesca havia posto em ação uma série de controles que limitou os danos. Sobretudo foram intensificados os controles nas fronteiras. A África do Sul que acolherá a Copa do mundo em junho próximo, tem um outro sistema legislativo e as fronteiras são mais abertas.

A partilha dos resultados da pesquisa feita pela Organização Internacional para as Migrações (IOM), sobre tráfego de mulheres durante os mundiais de futebol de 2006 realizados na Alemanha, serviu para compreender que caminhos trilhar para preparar a nova campanha considerando os diversos contextos e os diversos princípios legislativos das duas nações.

Ao projetar a campanha de informação a ser colocada em ação, os participantes no encontro destacaram a diferença entre informação e prevenção, evidenciando como os objetivos de uma campanha de informação são aquelas de cumular um vazio de notícias ao redor da realidade do tráfego, enquanto as atividades de prevenção tem como objetivos aqueles de modificar os comportamentos.

Durante os dias do encontro foram definidos os objetivos da campanha de informação:
1) Difundir informações sobre riscos do tráfego de pessoas entre: os agentes desconhecidos (que oferece transporte, alojamento, trabalho e proveito sexualmente); entre as vítimas potenciais (nos postos de trabalho, entre os passadores da droga, onde há a exploração sexual); todas as pessoas que conseguem contactar (escolas, paróquias, comunidade de fé, líderes tradicionais etc.).
2) Ajudar os torcedores de futebol a tomarem decisões informadas no aceitar determinadas ofertas (por exemplo: “serviços sexuais”, droga) que possam vir de pessoas vítimas do tráfego durante a Copa do Mundo 1010.
3) Envolver os lídere Religiosos e Superiores das Congregações, as Conferências episcopais e as Conferências Nacionais de Religiosos, no sustentar a campanha.

Sucessivamente, para cada objetivo, são definidas as atividades a serem colocadas em ação. Quatro cartas abertas estão prontas para serem enviadas às vítimas potenciais, aos agentes desconhecidos, aos torcedores, às/aos Superioras/es maiores das diversas Congregações, para sensibilizar e tornar conscientes do problema do tráfego de pessoas humanas, pedindo a colaboração de todos.

Como slogan da campanha foi escolhido: 2010 should be about the Game! Kick out Human Trafficking  (2010 deveria ser para o jogo! Dê um chute no tráfego de pessoas humanas).

O lançamento da capanha está previsto para o dia 06 de maio de 2010.

Escrever comentário
1 commento
27/02/2010 - Sr.Rosa Willocx

chère responable, je vous souhaite bon courage et endurance dans votre travail que le bien se fasse et le mal dénoncé. Nous prions pour vous, sr.Rosa


OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.