3º curso de formação para promotores dos Direitos Humanos para a África de língua francesa

3º curso de formação para promotores dos Direitos Humanos para a África de língua francesa

Genebra (Suissa). Do dia 28 de fevereiro até 11 de março se realizou em Genebra, junto ao Ofício dos Direitos Humanos do IIMA, o 3º curso de formação para promotores dos Direitos Humanos do IIMA e VIDES, em colaboração com o BICE.

Este curso, como conclusão do projeto anual encaminhado em março de 2009,foi destinado a 10 educadores e animadores da África de língua francesa (cinco do IIMA e VIDES internacional e cinco do BICE) que trabalham com e para as crianças em situação de risco.

Os países beneficiados pelo curso foram: Republica Democrática do Congo, Mali, Madagascar, Costa de Marfim, Benin,Congo Brazaville, Togo.

As Delegadas do IIMA e VIDES foram: Ir.M.Antonietta Marchese (Benin), Ir.Carine Akueson (Benin), Ir.Lurthakwa Odile Karhini (Republica Democrática do Congo),

Ir.Nyangono Mvondo Michele ( Congo Brazaville), Ir.Haingo Tiana Raharisoa (Madagascar)

O objetivo primário do projeto era de criar bases sólidas a fim que os operadores das três organizações pudessem encaminhar, em seguida à formação, proveitosas colaborações sobre o assunto, integrando nas próprias atividades a aproximação dos Direitos Humanos.

O grupo das participantes do IIMA e VIDES internacional gozaram de dois importantes momentos formativos. O primeiro, de 28 de fevereiro à 4 de março, permitiu aos participantes de conhecer os objetivos e as atividades do Oficio dos Direitos Humanos do IIMA, assim como os mecanismos de defesa e promoção dos direitos principalmente dos pequenos.

A segunda parte da formação, prevista conjuntamente com os participantes do BICE, focalizou-se sobre o aprofundamento do conteúdo da Convenção dos direitos da criança, em particular do Direito à educação, e sobre o funcionamento da Comissão dos Direitos da Criança. Nessa ocasião os participantes tiveram modo de encontrar alguns representantes do Alto Comissariado para os Direitos Humanos, do “NGO group” de Genebra e o presidente do OIDEL.

O curso de formação previa, além disso, alguns momentos de participação à 13ª sessão do Conselho dos Direitos Humanos. Em particular as FMA participaram da sessão de abertura do Conselho (High Level Segment, 1-3 de março), da apresentação dos relatórios anuais de processos especiais (8-9 de março) e a jornada da violência contra as crianças (10 de março).

O programa previu, enfim, dois acontecimentos paralelos (Side event 8 e 11 de março) ao Palácio das Nações . Nesse as nossas Irmãs, na presença dos representantes dos respectivos governos, de peritos dos organismos internacionais e dos membros de outras ONG, apresentaram experiências e boas práticas relativas à reintegração na sociedade e o / a  “renovada inserção” no contexto familiar dos meninos e das meninas em dificuldade.

O primeiro evento, “Side event”com o título “Objetivos e finalidade dos direitos à educação das crianças em risco na África: reintegração e/a renovada inserção” autorizada pelo Alto Comissariado,focalizou-se na Republica Democrática do Congo, Madagascar e Malí.

O segundo evento paralelo, “O direito à educação das meninas em situação de preca-riedade na África”, autorizado também pela Organização Internacional da Língua Francesa (OIF – Org.Int.Francofonia), pôs a atenção sob o Direito à educação das meninas jovens na Costa do Marfim, Benin, Republica do Congo e Togo.

O curso de formação foi agraciado pela preciosa colaboração e guia da Ex-Diretora da Divisão, Operações, Programas e Pesquisas do Alto Comissariado para os Direitos Humanos, Maria Francisca Ize-Charrin, atual membro do Conselho de Administração do VIDES Internacional.

O apoio do Conselho Geral das FMA foi bem expresso pela presença de Ir. Maria Luísa Miranda, Conselheira para a Família Salesiana, presente em Genebra num dos dois eventos Paralelos ( 8 de março). Irmã M.Luísa exprimiu grande satisfação pelo trabalho realizado por Ir. Maria Grazia Caputo (representante permanente do IIMA e VIDES Internacional em Genebra) no Ofício dos Direitos Humanos do IIMA apesar de estar sómente há dois anos em atividades.

Em seguida alguns testemunhos e comentários:

A representante de uma ONG: “Agradeço-vos porque neste “side event” ‘infiltrastes' esperança fazendo ver que aquilo que parece impossível é invés possível, aquilo que é feito num posto determinado torna-se um fato internacional que trás esperança para as pessoas da África e também de todo o mundo.”

O representante diplomático da Tunísia: “Aquilo que estais fazendo faz caminhar os direitos humanos.”

Monsenhor Tomasi, representante da Santa Sé: “Sois como um martelinho que prossegue incansável numa mensagem que dá vida porque põe o acento sobre a educação.”

Ir. M.Antonietta Marchese afirmou de ter encontrado um enorme enriquecimento em seguida a esta experiência, desde que teve a possibilidade de comunicar e enquadrar o próprio trabalho na prospectiva dos direitos humanos. Além disso encontrou a maneira de conhecer o significado do termo “defensora dos direitos humanos”, categoria à qual não sabia de pertencer.

Ir. Odile Karhini rebateu a positividade da experiência e comunicou sua intenção de transmitir os seus novos conhecimentos às Irmãs do Congo, mas também às jovens que estiverem interessadas em aprender. Empenha-se além disso a intensificar o seu trabalho de informação e sensibilização das famílias com a finalidade de prevenir as violações dos direitos da criança.

Ir. Carine Akueson apreciou a oportunidade para aprender a linguagem técnica dos Direitos Humanos e o funcionamento dos vários organismos que compõem o sistema das Nações Unidas, e também por entrar em contacto com realidades e problemáticas de outros países. Retém muito importante ter tido ocasião de interpretar o Sistema Preventivo de Dom Bosco no quadro dos direitos humanos.

Ir.Michèlle Nyangono Mvondo, compreendeu que esse curso de formação lhe deu os instrumentos para exprimir-se e explicar melhor o próprio trabalho, mas ao mesmo tempo para aprofundar e enriquecer seus conhecimentos.

Daniel Charrin declarou ter assistido ao encontro de dois mundos: o testemunho do coração e o mundo do direito. Foi além disso profundamente marcado pelas intervenções dos Estados que davam importância ao direito à educação das crianças.

Ir.Leonor Salazar, afirmou que essa experiência foi uma imersão na humanidade. Aprendeu de cada um, e todos foram uma luz de esperança porque o bem que se faz a uma só criança, vale qualquer esforço.

Ir.Maria Grazia Caputo, definiu os dias passados como uma experiência de escuta, e exprimiu a sensação que na sala do “ Side Event”, seja vivida uma partilha não só de metodologias e práxis, mas de bens. Compreendeu que o bem, se fica escondido, é um pecado: è preciso fazê-lo conhecido, de modo a conseguir multiplicá-lo. E fazê-lo é possível.

Escrever comentário
1 commento
26/03/2010 - Mayela Campos C

Felicitaciones, sembrar semillas de esperanza en la vida d eniños y niñas con la bandera de sus derechos es una acción de futuro en el hoy. Sigan adelante... con alegría veo que VIDES y IIMA han alargado su radio de acción. Saludos especiales a Maria Grazia y a Leonor desde Costa Rica.


OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.