Desmatamento, uma ameaça ao planeta

Desmatamento, uma ameaça ao planeta

No dia 5 de junho comemoramos o Dia Mundial do Ambiente. Apresentamos um artigo publicado na revista DMA (n. 5/6) para evidenciar temáticas como a proteção da natureza que é um assunto de todos os dias.

O desmatamento está ameaçando a subsistência de mais de um bilhão e meio de pessoas que tiram sustento para viver diretamente das árvores e do ambiente natural: é a advertência lançada pelas Nações Unidas para 2011 “ano internacional das florestas”, uma iniciativa que tem em mira proteger os pulmões verdes do mundo – mais de 31% da superfície do planeta, cerca de 4 bilhões de hectares – e os seus habitantes.

Segundo a ONU, de 1,6 bilhões de pessoas que dependem diretamente das florestas, cerca de 60 milhões pertencem a comunidades autóctones e locais, sem recursos econômicos. Sempre segundo os dados da ONU, cerca de 13 milhões de hectares de bosques são abatidos anualmente por causa do desenvolvimento urbanístico ou por exigências agrícolas.

O Ano internacional das florestas quer aumentar a consciência e promover uma ação global para a gestão, conservação e desenvolvimento sustentável de todos os tipos de florestas.

O desmatamento não é nada mais do que a redução das áreas verdes naturais da Terra. Este é um dos principais problemas ambientais do mundo contemporâneo.

A presença das florestas tem um papel de grande importância na manutenção dos equilíbrios do ecossistema.

Através do processo da fotossíntese as plantas subtraem o anidrido carbônico do ar (efeito estufa) deixando no seu lugar o oxigênio. As florestas ajudam a filtrar e reter as águas reduzindo os riscos hidrogeológicos da região de destruir o habitat para milhares de espécies animais e vegetais (biodiversidade), a aumentar a umidade do clima, a frear a erosão do solo etc. O desmatamento é o resultado de uma ação irracional do homem.

Quando o corte das árvores excede sua taxa de rebroto, então a população de árvores se reduz (desmatamento).

Com o passar do tempo reduzir-se-ão também os impactos positivos produzidos pelas plantas no ecossistema inteiro.

Nas florestas tropicais, por exemplo, vive a metade de todas as espécies animais existentes na terra. Este verdadeiro escrínio da biodiversidade é também o “pulmão verde” do nosso planeta, que desempenha um papel decisivo nos equilíbrios climáticos globais.

Mas, sobre um total de 2 bilhões de hectares de florestas tropicais, anualmente perdem-se entre 11 e 15 milhões de hectares.

Vale dizer que a cada três segundos desaparece o equivalente a um campo de futebol!

A terra está doente e está fazendo de tudo para nos comunicar isso. Se continuarmos a ignorar os sinais, o organismo-Terra será obrigado a reagir e os primeiros a perderem seremos nós mesmos.

Anna Rita Cristaino

Escrever comentário
2 comentários
10/06/2011 - Amparo del S. López Alarcón

LA DEFORESTACIÓN, tal lo describe el artículo es una realidad que en una u otra forma nos aporrea, empobrece el ambiente y hace desastres en quienes por causa de pobreza se ubican en sitios críticos por esta causa; además, suscita problemasa nivel socio-económico-político. Gracias por hacerme partícipe de él. Amparo

08/06/2011 - sistaele

Come FMA sosteniamo in tutto il mondo una pluralità notevole di azioni e progetti, la cui idea-forza è la convinzione che la preservazione e l`uso sostenibile del patrimonio naturale non sono fini a se stessi, bensì hanno senso e si rafforzano se l`obiettivo ultimo è il benessere delle persone, di tutti, a partire dai più poveri... Grazie per aiutarci a riflettere su giustizia, pace e salvaguardia del creato!


OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.