A Comunidade fma de Testaccio celebras os 100 anos de atividades

A Comunidade fma de Testaccio celebras os 100 anos de atividades

Para quem conhece pouco Roma, Testaccio é um dos bairros históricos da capital. No começo de mil e novecentos, esse bairro hospedava os operários que tinham vindo para a cidade para fazer fortuna. Era um bairro pobre e politicamente alinhado na esquerda, onde se respiravam ventos anticlericais. Hoje o perfil do bairro está profundamente mudado; em lugar dos operários há jovens artistas e migrantes, o que torna o Testaccio um bairro multiétnico e multicultural que abriga muitos lugares de encontro, sobretudo juvenis. Por isso hoje é um dos bairros mais dinâmicos da cidade.

O Instituto Santa Cecília, das fma, surge na via Ginori, sede construida em 1913. Mas as três primeiras fma no Testaccio chegaram em 27 de novembro de 1911. A esperar Ir. Rosalia Stella, Ir. Giuseppina Pedrazzoli, Ir. Clotilde Bianchi, e a postulante Antônia Cadoni, naquele dia, estava o Pároco Pe. Luigi Olivares, com “ uma expressão de alegria no rosto, como quem vê realizar-se um sonho”. Pr. Luigi, que alguns anos depois se tornaria Bispo de Nepi, as esperava diante de uma casinha modesta na via Marmorada, 102.

Naquela modesta morada começou o trabalho das três fma. Graças a seu zelo e seu carisma, as Irmãs se saíram muito bem no construir um lugar adaptado para acolher as atividades destinadas às testaccine, as meninas de Testaccio. Logo começaram o oratório, a escola, o estudo dirigido e o trabalho de costura. As atividades das fma se multiplicam ano a ano e não param nem mesmo durante as duas guerras mundiais. Na crônica da primeira guerra mundial se lê que no setor de costura foram encomendadas 2000 gravatas para os soldados, enquanto durante a segunda guerra mundial a escola acolheu cerca de 80 alunos, de escola elementar e média, no ano 1941/42 e não se interromperam os passeios ao mar, outra importante atividade educativa que via as Irmãs empenhadas já há vários anos.

Nos anos que se seguiram à guerra, a obra das fma se expandiu: as atividades educativas se consolidaram e os cursos profissionais foram reconhecidos pelo Ministério do Trabalho.

Chegam os anos 70 e com eles chegam grandes mudanças culturais: ao centro da reflexão educativa estão os temas polêmicos daquele período: aborto e divórcio, e também as famílias dos alunos ficam envolvidas nessas discussões.

O final dos anos 70 vê um outro acontecimento importante: o início do pontificado do Papa João Paulo II, o qual depois de apenas três meses de sua eleição ao Sólio pontifício, visita o Instituto. Momento este tanto inesperado quanto alegre, que torna o coração das Irmãs cheio de júbilo.

Nos anos 80 é o esporte que sobressai entre as múltiplas atividades: torneios e festas envolvem também as máximas autoridades esportivas do CONI. Nos anos noventa, ao invés, a queda demográfica italiana faz diminuir, como em todas as escolas do país, o número de matrículas. Isto levará ao fechamento da escola elementar primeiro e da média depois.

Se por um lado o trabalho com os menorzinhos se fecha,do outro se intensifica e cresce o trabalho com os adolescentes: cursos de formação profissional (CIOFS), hoje são 12 e recebem 320 meninos de 18 etnias diferentes.

A comunidade nestes últimos anos está envolvida em muitíssimos âmbitos, que vão do turismo (TGS. Turismo juvenil salesiano) ao voluntariado (VIDES, voluntariado internacional mulher educação e desenvolvimento) passando pela formação (IFTS, Instrução e Formação Técnica Superior) somente para citar alguns.

O Instituto está em contínua evolução e consegue dar respostas concretas às exigências da comunidade, que troca sempre mais velozmente.

Domingo, 27 de novembro, as fma do Testaccio celebraram seu centésimo aniversário de atividades, prontas a enfrentarem os desafios dos anos que virão. Madre Yvonne Reungoat participou do acontecimento e durante a celebração eucarística saudou os presentes,expressando o seu agradecimento a todas as pessoas, que acompanharam o caminho das fma do Testaccio nos seus primeiros 100 anos de história.

Escrever comentário
2 comentários
17/05/2020 21:31:25 - alessandra lisci

Ho frequentato un corso biennale agli inizi degli anni 90.Un ricordo speciale per Suor Dina che resterà sempre nel mio cuore.

23/12/2018 08:43:25 - Maria Nina Serra

Buongiorno a tutta la comunità,sono stata una ex allieva dell’isituto negli anni 70 e ricordo sempre con piacere momenti di vita trascorsi nella community.Oltre ad essere stata studentessa ho lavorato anche all’interno della struttura,un grazie per tutto ciò che mi hanno trasmesso e per l’insegnamento ricevuto, esperienza che ha forgiato e smussato parte del mio carattere ribelle.


OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.