A santidade é um bem que faz vibrar de alegria e contagia quem está perto

A santidade é um bem que faz vibrar de alegria e contagia quem está perto

Roma (Itália). «A festa de Todos os Santos e a Memória dos Falecidos, celebradas no Ano da Fé – que enriqueceu a Família Salesiana com dois novos Beatos, Ir. Maria Troncatti e o coadjutor salesiano Stefano Sandor – são ocasião para dirigir o olhar para o Céu, onde estão nossas Irmãs, que já fazem parte da Pátria Celeste, e também refletir sobre a nossa santidade em caminho.

Nós temos nossos Fundadores no Céu: São João Bosco e Santa Maria Domingas Mazzarello, seis Irmãs Beatas, uma aluna e duas Veneráreis, que intercedem por nós e por quem é confiado a nós. E nos damos conta de que a casa das fma do Paraíso nestes anos está aumentando muito. As fma no Céu são 14.483 e na Terra somos 13.020».

Isto foi o que Ir. Sílwia Ciezkowska fma, Vice-postulador para a Causa dos Santos escreveu, convidando as comunidades fma a refletirem sobre a santidade.

A nossa família religiosa é uma família atravessada por muita santidade! Não uma santidade abstrata e distante da vida, mas uma santidade discreta, concreta e reslista, que se mede com os desafios, com as dificuldades, com as inevitáveis contradições humanas e, ao mesmo tempo, é luminosa, cheia de alegria e de criatividade apostólica.

Santidade é dar convictamente o primeiro lugar a Jesus em nossa existência, é desejar ardentemente, com coração enamorado, uma relação constante e profunda com Ele. É segui-lo sem descontos, até abraçar o “precioso tesouro da Cruz” na qual “reconhecemos o ícone do amor supremo, onde aprendemos a amar o que Deus ama e como Ele o faz: esta é a Boa Notícia que devolve a esperança ao mundo”. Acreditamos que a santidade é possível hoje também e que ela deve ser o programa de vida de quem se entrega a viver a vontade de Deus cada dia? Deus é santo e nos chama a viver “uma existência transfigurada”, que irradia luz, alegria, paz. Dizer sim ao caminho de subida da santidade quer dizer estar disponível a tudo, também ao martírio, para não falhar na aliança com Deus, que é fonte de fecundidade, de renovação, de esperança para todos, especialmente para as jovens e os jovens.

Para reforçar a consciência da comunhão dos Santos e reavivar o dom recíproco da caridade, que nos une além do tempo (Constituições art. 60), agradecidas a Deus pelo testemunho e pela fidelidade à vocação e à missão salesiana de tantas nossas irmãs, pedimos e não duvidamos de sua ajuda eficaz.

«Se [os homens e as mulheres] soubessem que poder está em nossas mãos; se compreendessem que existe não apenas uma democracia, uma monarquia, uma jerarquia, mas também uma agiocracia, isto é, o poder dos santos, leriam a história de outra maneira, mas sobretudo a construiriam diferentemente – escreve Pe. Luigi Padovese».

Maria Auxiliadora e as nossas Santas, Beatas e Veneráveis nos abençoem!

 Leia a versão integral da carta

Escrever comentário
1 commento
01/11/2013 21:40:56 - Ir. Angela Silva

Que mensagem linda.Que o Senhor Jesus me de a graça de um dia chegar lá.


OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.