Agricultura Familiar. Para um futuro alimentar sustentável!

Agricultura Familiar. Para um futuro alimentar sustentável!  (Roma). No dia 22 de novembro, por ocasião da Cerimônia pelo Dia Mundial da Alimentação será proclamado o Ano Internacional da Agricultura Familiar das Nações Unidas para 2014. Realização que objetiva elevar o perfil da agricultura familiar chamando a atenção da opinião pública internacional para a contribuição na luta contra a fome e a pobreza, para a segurança alimentar, para a melhoria das condições de vida e para a proteção do ambiente e da biodiversidade.

O que é a agricultura familiar? É um modelo que organiza a produção agrícola, florestal, a pesca, a criação de animais e a aquicultura através da gestão de uma família, que se baseia principalmente na força de trabalho de seus membros – homens e mulheres – mais do que com trabalhadores assalariados. A família e a fazenda estão intimamente ligadas, crescem juntas, e envolvem processos econômicos, ambientais, reprodutivos, sociais e culturais.

Quando se diz Agricultura Familiar, está-se dizendo: garantia de provisão alimentar: de fato, 70% dos alimentos do mundo são produtos de “family farmers”; de redução da pobreza: pelo crescimento agrícola e rural se beneficiam também os pobres da cidade, que podem encontrar facilmente os alimentos devido a sua proximidade; de tutela da biodiversidade: além de ser fonte de agrodiversidade, a agricultura familiar pode garantir a preservação de espécies de plantas, graças ao uso de muitas variedades de sementes e espécies nativas fortes e capazes de se adaptarem e se espalharem em diferentes solos; do papel das mulheres nos processos produtivos. As fazendas agrícolas de gestão familiar, portanto, sempre ofereceram serviços à sociedade e representam um motor de crescimento e emprego nas zonas rurais.

Hoje, estas pequenas empresas contribuem para o fornecimento de alimentos de qualidade para mais de 500 milhões de consumidores.

O presidente da Comissão das Organizações Profissionais Agrícolas da União Europeia (Copa) afirma: «As fazendas familiares, que representam uma boa parte dos 25 milhões de pessoas que trabalham na agricultura, são muito apreciadas por todos os cidadãos. Eu mesmo dirijo uma fazenda familiar que foi transmitida de geração em geração e realiza um papel chave na economia rural. Para garantir a renovação geracional no futuro, a agricultura deve ser uma atividade rentável e economicamente sustentável. É portanto fundamental garantir que a nova reforma da política agrícola comum (PAC) seja aplicada corretamente e que a burocracia seja reduzida ao mínimo.

Também a pesquisa e a inovação são fundamentais, para que os agricultores possam ter acesso às novas tecnologias e possam aproveitar, por exemplo, das novas variedades de cultivo. O acesso à internet, estruturas sanitárias e para a guarda das crianças são importantes para as fazendas familiares que se encontram em zonas rurais, como são importantes para todos nós».

Na previsão do Ano Internacional da Agricultura Familiar das Nações Unidas 2014, serão realizados diversos eventos que analisarão como melhorar a situação, para conseguir interação maior entre as fazendas familiares e a sociedade e para estimular as políticas.

No dia 29 de novembro de 2013, a FAO organiza uma conferência europeia com o tema: “Agricultura familiar: um diálogo rumo a uma agricultura mais forte e sustentável na Europa e no mundo”; outros eventos serão organizados no curso de 2014 e este tema será retomado também no Congresso dos agricultores europeus de 2014.

A terra é muito mais do que o solo que pisamos, aramos ou poluimos; desde as origens a humanidade fez do chamamento da terra um dos veículos da identidade, seja no campo das religiões, seja no campo político e cultural. A terra é uma categoria do imaginário ao qual escritores, pensadores e viajantes recorreram, às vezes enriquecendo-a.

“Ser fiel à terra” escrevia Nietzsche, e é uma frase que cada qual pode fazer própria, porque a terra se enlaça continuamente com a vida em todas as suas formas.

http://www.cgfmanet.org/Bd/documenti.aspx?lingua=1&cat=026&sotCat=149

Escrever comentário
Não há comentários a esta entrada.
Seja o primeiro a comentar!

OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.