Educomunicação: uma oportunidade e um desafio para a educação

Educomunicação: uma oportunidade e um desafio para a educação

Recife (Brasil). Na inspetoria brasileira Maria Auxiliadora, Recife (BRE), foram realizados, no decorrer do ano, encontros de formação, para estudantes e jovens formandas, com o tema da Educomunicação.
Hoje é urgente educar de forma positiva, própria do Sistema Preventivo, realizando uma síntese entre educação, comunicação e evangelização.  Ir. Quitéria Rosa, durante o ano, realizou diversos encontros sobre o tema da educomunicação, seja com os alunos da escola, seja com as jovens em formação: aspirantes e postulantes.

«Tornar atual Valdocco e Mornese significa entrar com inteligência e habilidade na cultura de hoje , caracterizada pela mídia antiga e nova e fornecer uma contribuição significativa através da educomunicação que, unindo educação e comunicação, permite um anúncio explícito de Cristo, capaz de interceptar a vidas dos jovens e das jovens do nosso tempo» (cf. Gong 4).

Na tradição salesiana, educação e comunicação estão enraizadas e unidas na vida concreta dos nossos Fundadores.  No coração do carisma, Dom Bosco e Madre Mazzarello foram autênticos “comunicadores”. O processo de comunicação não tinha limites, envolvia tudo, pessoas, objetos, o espaço que os continha, do campo à cidade; e o tempo em que se realizava essa comunicação terminava por se estender ao dia todo, reclamando a noite também. Na pedagogia salesiana as questões da educação, da comunicação e da evangelização nunca estão separadas.

Sustentando este tipo de caminho esteve a convicção de que percorrer as vias da educação preventiva, sobretudo hoje, significa dar atenção às exigências comunicativas das jovens gerações, educá-las ao diálogo, à abertura para o outro no respeito de sua originalidade, à vida de grupo como laboratório de relações autênticas, à redescoberta da família, à partilha na comunidade de fé, ao uso positivo e à fruição dos meios de comunicação social e das novas tecnologias. 

Os encontros suscitaram muito interesse nos participantes, e foi um modo para explorar a educomunicação, ajudando a descobrir, através dos meios de comunicação social, como também no encontro pessoal, o que está na base do processo educativo: a relação, a fé, a cultura para poder construir juntos um mundo mais habitável e solidário.
A educomunicação determina uma nova cultura que muda a vida.  Esta realidade nos desafia, como mulheres consagradas e como educadoras, inseridas em comunidades que atuam em favor da promoção e da evangelização dos jovens e das jovens.

«Comunicar bem nos ajuda a estarmos mais perto e a conhecer-nos melhor, a estarmos mais unidos, favorecendo assim “a autêntica cultura do encontro”» é o que escrevem alguns dos participantes lembrando o tema da Jornada Mundial das Comunicações. Para outros «aprofundar o tema da educomunicação nos fez mais conscientes de como a rede digital pode ser um lugar rico de humanidade e como o testemunho cristão, graças à rede, possa chegar também às mais distantes periferias».

Por fim, vários disseram que: «foi bonito descobrir que uma comunicação autêntica pode mudar a nossa vida. Isto nos ajuda a crescer no diálogo conosco mesmos, com os outros e com Deus».

Escrever comentário
Não há comentários a esta entrada.
Seja o primeiro a comentar!

OK Su questo sito NON utilizziamo cookie di profilazione, ma solo cookie tecnici e/o per il monitoraggio degli accessi. Se vuoi saperne di più clicca qui. Cliccando sul pulsante OK presti il consenso all'uso di tutti i cookie.